8 de fevereiro de 2016

Clara e Adam, já estou com saudades...





 Escrever significa para mim ser livre. Ter a liberdade de escrever o que eu quero lugares que gostaria de ir, histórias que gostaria de vivenciar. Escrevo também sobre quem eu sou, textos, poesias que expressam minhas vontades, meus sonhos e sentimentos que muitas vezes não consigo colocar para fora.

Crio histórias e personagens muitas das vezes diferentes do que sou, o oposto do que faço e vivo, exatamente para experimentar novas experiências, muitas que talvez nem vá presenciar, mas o amor pelas palavras faz com que eu simplesmente escreva.

Gosto de criar para eles olhos, cor e corpo, mas também gosto que eles me conduza e quando ganham personalidade – ficam abusados, cheios de vontades próprias. Mas louco disso tudo é quando eles falam comigo, apesar de imaginar um destino para cada um, eles dão um jeito de mudar suas histórias. Bagunçado minhas ideias e escrevendo as suas.

Loucura ou não, mas eu fico ansiosa para estar perto de meus personagens, compartilhando e participando de suas vidas. Londres II acabou e eu me pergunto: como será não encontrar Clara e Adam pelas ruas de Londres? 



Depois de Londres os dias cinza ganharam minha admiração, comecei a entender que os relacionamentos conturbados tem solução, pois para o amor só precisa de duas pessoas para fazer dar certo, por mais complicado, confuso, avassalador que pareça amar vale a pena.

Estou nesse exato momento, tentando descrever o sentido da escrita na minha vida, posso dizer que escrever é o meu refugio favorito, além de me libertar – escrever significa para mim amor. Porém, nesse momento está mais para saudade...

Clara e Adam, até qualquer dia.

Com amor,

Érica Lopes

1 comentários:

Marco Antonio Marco Antonio Sousa da Silva disse...

Olá Érica,

Com certeza a escrever deve ser libertado e muito prazeroso que eu gostaria de ter esse dom.....parabéns...bjs.


devoradordeletras.blogspot.com.br

 

Primeiro Livro © 2012 - Todos os Direitos Reservados. Amanda Cristina